Gatronomia

Crepe francês e sabor regional conquistam Carpina

10978640_795682687147034_4694765270554398499_n

Carpina acaba de ganhar um delicioso presente: a Creperia e Cafeteria Fino Paladar aportou na cidade no final do ano passado e está conquistando uma clientela cada vez mais apaixonada e fiel.  Um bom lugar para se encontrar, conversar e desfrutar de boa diversão ao lado da família e de amigos, degustando o melhor das gastronomias francesa e nordestina, com charme, aconchego e atendimento de primeiríssima qualidade.

O cardápio da casa é bem variado, são cerca de 15 opções de crepes, entre doces e salgados, além dos saborosos cuscuz e tapiocas, com recheios de dar água na boca, comer rezando e implorar pelo “bis”.

Entre os crepes salgados, não deixe de pedir o de camarão e o de charque, verdadeiras tentações à gula. A tapioca de queijo do reino também vai lhe deixar sem palavras, assim como cuscuz com recheio doce. Todos os crepes salgados vêm acompanhados de salada tropical, com folhas verdes, manga, tomate cereja e morango.

Os cafés e drinks à base de frutas deixam a refeição perfeita e é impossível sair da casa sem a sensação de “voltarei em breve”, agradecendo a excelente receptividade e hospitalidade do proprietário Paulo Bitu Coutinho.

 

Um pouco mais sobre o prato

A origem do crepe é bem antiga. Eles são consumidos de várias formas há cerca de 9.000 anos. A primeira receita do prato que se tem notícia foi encontrada na França, por volta de 1390, em um livro chamado “Manger de Paris” (Comida Parisiense). Muitos acreditam que suas “raízes” venham do pão indiano “chapati” e das panquecas chinesas.

O nome em francês, crepe, deriva do termo crispus, em latim, que significa crespo. Em italiano, são chamados de crespelle. Originalmente, eram assados em pedra quente, e mais tarde passaram a ser preparados em chapa redonda de ferro sobre o fogo. Assim tem sito até os dias atuais. G.T.

creperia k

 

 

Deixe um comentário