Polícia Últimas Notícias

Foragido, ex- prefeito de Carpina tem prisão preventiva decretada  

policia-civil-2016

A Polícia Civil decretou a prisão preventiva do ex- prefeito de Carpina, Carlos Vicente de Arruda, conhecido por Carlinhos do Moinho, que permanece foragido desde a última sexta- feira (09).  O político é o principal alvo da Operação Fraus que investiga um esquema de fraude na administração da cidade.

O esquema envolvia contratos de locação de veículos para o Executivo municipal. Caminhões, tratores e automóveis eram locados com a utilização de documentos forjados. Entretanto, nenhum veículo chegou a ser disponibilizado para a prefeitura. A locação era feita a uma empresa de fachada e os recursos terminavam sendo desviados para os investigados.

A polícia segue com as diligencias tentando localizar Carlinhos do Moinho. Na última segunda- feira (12), um mandado de busca e apreensão foi cumprido em um apartamento no Bessa em João Pessoa, na Paraíba. De acordo com o advogado de defesa Ademar Rigueira, que representa o político, só após ter a cópia do mandado de prisão em mãos é que a defesa irá decidir se o ex-prefeito se apresenta ou não.

Ainda foi prorrogada por mais cinco dias as prisões temporárias de outros três suspeitos da operação que estão recolhidos no COTEL. Permanecem presos o ex- prefeito de Lagoa do Carro e atual vereador em Carpina, Antônio Carlos Guerra Barreto (PSB), Jair da Silva e Rodrigo Felipe Cavalcanti dos Santos Filho. Um quarto envolvido, José Reginaldo dos Santos, conhecido por “Major”, responsável pela empresa que alugava veículos para a coleta de lixo na cidade, teve a prisão preventiva decretada desde a última sexta- feira.

De acordo com o delegado de Carpina, Diego Pinheiro, nesta fase da investigação a equipe está avaliando os matérias recolhidos nas residências dos suspeitos e nos gabinetes da câmara de vereadores de Carpina. A prisão temporária foi prorrogada para não atrapalhar o andamento do inquérito.

Os suspeitos são investigados pela prática dos crimes de fraude em licitação, falsidade ideológica, peculato, corrupção, associação criminosa e lavagem de dinheiro.

 

Deixe um comentário