Destaques Entretenimento Últimas Notícias

Mulheres Plus Size: bonitas, inteligentes e charmosas

17
WhatsApp Image 2017-06-12 at 16.55.07

Modelo Mell Santos

Paulo Ferreira-

Quando tanto se fala em frear preconceitos, em mudar paradigmas e respeito mútuo, entrevistamos duas modelos para tratar do assunto Plus Size. Agências de moda criaram as modelos magrinhas, dentro de uma sociedade preconceituosa para com pessoas que usam tamanhos grandes.
Gordinhas, ou simplesmente Plus Size, são mulheres que, na verdade, lutam para mudar os rígidos padrões estéticos estabelecidos pelas agências de moda, e que influenciaram a sociedade. As passarelas, capas de revistas e ensaios fotográficos estão acostumados a mostrar apenas modelos altas e bem magras. No entanto, um grupo de mulheres resolveu enfrentar as agências e a sociedade e está “quebrando” esses padrões. Elas, que dizem não à “ditadura” da magreza, já fazem sucesso com corpos que não seguem os padrões impostos. São as Plus Size, que usam biquínis, ilustram publicidades, saem em capas de revistas, desfilam representando grifes famosas, vencem concursos de beleza e encantam o público.

WhatsApp Image 2017-06-12 at 16.53.03 (1)

Modelo Mell Santos

Conversamos com as modelos famosas, Cecília Botero, que já representou o Nordeste no Concurso Miss Brasil Plus Size, em São Paulo, no ano de 2014 e que compõe o cast da renomada Agência de Modelos Amazing Model, sendo também assessorada pela Kreative, assim como a modelo Mell Santos, que desfila pela Agência Kreative Assessoria. Elas são exemplos de luta contra o mundo da moda que determinou regras de beleza física, onde a magreza é o máximo. Nesse universo, às vezes perverso, muitas modelos morreram vítimas de anorexia, tentando emagrecer a qualquer custo para serem aceitas. Em desfiles de modelos comuns, belas mulheres, vestindo roupa da moda, escondem corpos esqueléticos, quase em pele e osso. Tanto Cecília quanto Mell já foram magras, e hoje são Plus Size. Cecília também é professora e sofreu agressões de bullying. “Consegui superar essa situação quando deixei transparecer minha autoestima. Quando estamos bem conosco, coisas desse tipo não conseguem nos atingir. Autoestima é tudo! Nós, como quaisquer pessoas, devemos ser respeitadas e valorizadas como somos, bem como admiradas por nossas características únicas pois representamos os mais variados perfis corporais, desabafou Cecília. Mell explicou: “fazemos parte de um movimento que está quebrando paradigmas, regras e preconceitos, e estabelecendo um novo modo de vida, onde as pessoas devem se amar do jeito que são, porque o importante é ser feliz”. Elas fazem parte do Projeto Plus Size Fashion Recife, organizado por Karla Rezende, profissional inovador que “procura personalizar o perfil Plus Size, de forma que cada uma siga um novo padrão de estética, de acordo com a sua personalidade”, disse.
Por conta do mercado Plus Size, que está em expansão, e da interferência dessas mulheres a favor do padrão curvilíneo, que mostram mulheres reais, algumas pessoas da sociedade reclamam que esse movimento feminino esteja incentivando a obesidade. Mell contra-ataca: “Estamos provocando estímulos, oferecendo autoestima, deixando as pessoas mais felizes”. Ela ressaltou que “nenhum metabolismo é igual e que nem sempre o padrão é justo com todas”. Mell conta que tem dificuldades em comprar roupas na cor e estilo que gosta.

1.1

Modelo Cecília Botero

O mercado Plus Size – A roupa passa a ter essa denominação a partir do número 44 (calças) e tamanho GG (camisetas). Esse termo surgiu como forma de organizar as categorias e chamar a atenção em relação à moda para pessoas acima do peso, principalmente mulheres, já que o mercado, até algumas décadas atrás, era carente desse tipo de vestuário. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o Brasil deve manter uma população grande de gordinhos. Em 2020, esse número deve chegar a 30% de toda a população, o que significa mais de 55 milhões de pessoas. Hoje em dia, o termo Plus Size já é bem mais divulgado e, por essa razão, já houve uma grande evolução desse seguimento no mundo da moda. Há desfiles exclusivos para atender a esse público e lojas especializadas, porém, é um mercado que precisa de muito mais incentivo para continuar crescendo.
Mais informações no facebook na página: Plus Size Fashion Recife e nos perfis do Instagram @mellsantplus e @cecília_botero. Também com Karla Resende (99662.7498)

Deixe um comentário